A Revista publicou em reportagem: “Quando mergulharam no projeto de uma quitinete de 28 metros quadrados em Copacabana, a designer Marcella Bacellar e a arquiteta Renata Lemos encontraram as paredes derrubadas. Os próprios moradores convocaram um pedreiro para cumprir o trabalho. A dupla cuidou então da decoração, cheia de artimanhas para poupar espaço neste tipo de construção, que chegou ao Rio na década de 1940 e mantém-se firme, ainda que ganhando outros ares e nomes, como loft e estúdio. Quem entra no apartamento não se dá conta de que um banheiro está escondido atrás de um painel de marcenaria. Outros truques: uma porta de correr para isolar o quarto de sala e cozinha, e aplicar o mesmo piso (porcelanato) em toda a casa. — A planta original tinha uma copa no lugar deste banheiro. Invertemos os cômodos de lugar — detalha Marcella. O primeiro item de um apartamento no Leblon do qual a arquiteta Bianca da Hora se desfez foi uma banheira (“daquelas antiguinhas, com cara de casa de avó”). Depois, deu fim a um bidê. Com os poucos metros quadrados que ganhou, projetou uma bancada para abrigar um fogão e uma pia”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Revista O Globo/Reportagem: Carolina Ribeiro/01/03/15