O site da Casa Claudia trouxe em matéria: “Espaços de visual limpo não precisam, necessariamente, deixar de lado os objetos queridos. No apartamento de 180 m² em que vive com a filha, de 15 anos, em São Paulo, a arquiteta Carolina Rocco encontrou o ponto certo entre minimalismo e afetuosidade ao selecionar com critério as lembranças e preferências à mostra no décor. “Meu estilo nasce do que aprecio, da minha história e da bagagem cultural que tenho”, explica. Duas peças de destaque no living traduzem perfeitamente essa afirmação: o sofá Amazonas, com base de madeira, criado na década de 1960 pelo designer Jean Gillon (1919-2007); e a poltrona Slow, dos irmãos franceses Ronan e Erwan Bouroullec, concebida em 2006. “O sofá evoca a memória da infância, pois veio da casa dos meus pais. Já a poltrona foi paixão à primeira vista e se tornou o canto de leitura e sossego”, conta. Enfeites, livros e obras de arte – só o essencial às moradoras – ficam expostos de forma organizada, e a claridade natural contribui para deixar suave a atmosfera. “Neste espaço, a janela de 9 m me encantou. Além de trazer bastante luz, ela permite ver a paisagem formada pelos edifícios e contemplar o pôr do sol”, diz. Toques de cor escura, como o cinza-grafite dos módulos estofados, equilibram os tons claros. “Usei as nuances que me agradam e busquei criar uma decoração que não fosse datada mas verdadeira e condizente com nosso jeito de ser.”

Fonte: Casa Claudia/Reportagem: Visual Juliana Hamacek | Texto Luciana Jardim

http://casa.abril.com.br/materia/apartamento-com-decoracao-contemporanea-e-um-retrato-do-tempo-atual