A coluna Em casa por Marcia Müller, do blog da Lu Lacerda, divulgou em nota: “Hoje vamos falar da estética japonesa, um conceito de arquitetura e decoração que é tão extenso quanto sua própria cultura. Tudo no Japão passa pela tradição, e uma delas é o amor pela natureza e tudo que vem dela. Por isso, o uso da madeira e dos tons naturais é a base da ambientação japonesa. O minimalismo, tão falado atualmente, já era usado no Japão há milhões de anos. Pode-se dizer que o minimalismo é o conceito maior da estética japonesa. A arquitetura japonesa é a minha grande fonte de inspiração, os detalhes, a simplicidade, os telhados, enfim, tudo é extremamente harmônico e simples. O tatami é outro elemento típico dessa ambientação, e a geometria das marcações dessa palha prensada é um charme total – sem falar na leveza e na delicadeza, objetivo fundamental em todos os objetos dessa estética. Tudo é feito para proporcionar paz equilíbrio e contemplação. Além de essa leveza ser um oásis para o nosso corre-corre diário, o Japão, por ter verão quente e úmido, desenvolveu soluções maravilhosas que podemos reproduzir aqui no Brasil: materiais simples e muita madeira. A mobilidade e a multifuncionalidade dos espaços com os painéis removíveis é outra modernidade milenar da casa japonesa. No Japão, a regra básica é a “harmonia” com o que já existe. Afinal, se qualquer objeto, ou mesmo uma construção, for ocupar um lugar no espaço, que isso faça uma diferença para o bem e para o belo. A natureza já nos presenteou com tanta beleza que o que criarmos deve somar, e não agredir. Em resumo, a arquitetura, a decoração e a arte japonesa se resumem a uma palavra: elegância. Mostro a vocês lindos exemplos dessa ambientação”. Leia mais no blog.

Fonte: Lu Lacerda/23/02/16

http://lulacerda.ig.com.br/em-casa-por-marcia-muller-estetica-japonesa/