Em nota, a coluna do Ancelmo Gois divulgou que “apesar do risco de queda de reboco em algumas marquises, quem olha para o alto em suas andanças pelo Rio pode ser recompensado com uma arte escondida na fachada de prédios antigos. Após 12 anos de pesquisa, o fotógrafo e designer Luiz Eugênio Teixeira Leite documentou mais de mil ornamentos que guardam simbolismos da  arquitetura carioca. O resultado está no livro “O Rio que o Rio não vê” (Aori)”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Rio/ Ancelmo Gois