A coluna Em casa, por Marcia Müller, informou em nota: “Um banco é um assento com ou sem encosto, ou uma plataforma em madeira para trabalhos manuais de carpintaria. Enfim, banco tem muitas definições, assim como muitas utilidades. Foi o primeiro protótipo da cadeira, utensílio altamente desenvolvido ao longo da nossa civilização. Para mim, o banco ainda tem muito valor e o utilizo sempre em diversas situações. O banco pode ser moderno, antigo, em madeira ou em outro material e, por ser baixo, no máximo com 45cm de altura, quanto mais alongado, mais bonito. Também existem os bancos altos, lindos, bem altos mesmo – o importante é o equilíbrio das medidas! A proporção do banco é fundamental: se for largo demais, curto, baixo ou alto, fora de uma harmonia estética, em vez de ser útil e elegante se transforma em um nó dentro de casa. Serve apenas para ocupar espaço! Aliás, qualquer elemento dentro de casa decorativo, funcional, técnico ou não, deve ter sua função e sua utilidade; caso contrário, torna-se uma peça para se tropeçar, nada mais…. Mostro alguns projetos meus onde o banco externo ou interno alongou e funcionou como aparador, mesa e banco. Por não ter encosto, o banco se torna um objeto super prático, leve, confortável e super elegante!!!”. Leia mais no blog.

Fonte: Lu Lacerda/21/10/14

http://lulacerda.ig.com.br/em-casa-por-marcia-muller-bancos/