A coluna Em casa por Marcia Müller, do blog da Lu Lacerda, publicou em nota: “O mundo intelectual é muito mais glamoroso, sofisticado e raramente está associado a um alto padrão financeiro. Por isso, a sofisticação intelectual é tao desejada e tão raramente alcançada. Ela não depende de quanto a pessoa tem no banco, mas sim de uma sutil tendência, uma curiosidade a mais e, principalmente, de um interesse aliado a um charme todo particular. Uma biblioteca faz parte imprescindível desse universo! E não se pode confundir biblioteca com estante: biblioteca é uma adega de livros, livros, de preferência, usados, lidos ou folheados, mas comprados com o mesmo carinho de todos que compram um vinho maravilhoso. Adoramos uma biblioteca, mas, para ser fantástica, tem que ser real: usada e feita sob medida para seu dono. Nos casos em que os livros não são o objeto de desejo dos donos da casa, a estante se adapta muito melhor. A estante serve para objetos, para tudo. E também para livros. Não existe nada mais elegante que uma biblioteca. Os livros podem ser de revista, em quadrinhos, ou até os grandes romances e histórias de autores clássicos. A biblioteca representa o seu gosto, a sua busca e o seu caminho. Livros fazem a grande diferença na nossa história, mas, no mundo virtual, prático e rápido, o livro vai ganhando menos espaço. No entanto, isso ainda é uma grande dúvida, pois uma casa com uma biblioteca vivida tem muito mais charme que uma casa com vários ipads ou computadores numa bancada. Além de tudo, esses dois mundos se integram muito bem. Em uma biblioteca, o computador pode estar numa mesa e será muito agradável usá-lo no meio dos livros. Para alguns, ainda não existe nada melhor do que ler virando as páginas de um livro; para outros, nada melhor do que ter uma biblioteca em casa para observá-la e admirá-la todos os dias!”. Leia mais no blog.

Fonte: Lu Lacerda/16/03/16

http://lulacerda.ig.com.br/em-casa-por-marcia-muller-estante-x-biblioteca/