O caderno Mundo publicou em reportagem: “Shigeru Ban, o arquiteto japonês que levou o prêmio Pritzker este ano, está lá. Estrelas do naipe de Jean Nouvel e Frank Gehry também. Outras, como Norman Foster e Zaha Hadid, já começam a marcar presença. E o paulista Isay Weinfeld será o mais novo integrante daquele que vem sendo considerado o maior museu de arquitetura a céu aberto do mundo: o High Line — parque suspenso construído ao longo de uma antiga ferrovia no Chelsea, em Manhattan, entre a 10ª e a 11ª avenidas — virou uma passarela cercada por prédios de vanguarda assinados pelos criadores mais celebrados do planeta. E a recente inauguração da terceira fase da plataforma elevada, que agora se estende até a Rua 34, só criou mais espaço para a tendência. — Não consigo pensar em outro lugar com tantos projetos impactantes de arquitetura lado a lado — diz Weinfeld. — É impressionante o que está pipocando à beira do High Line, onde todo arquiteto bacana tem ou gostaria de ter algum projeto. A gente passa e só vê construção, mais uma vez mudando a cara de um bairro da cidade. Fico muito honrado de poder estar lá. O empreendimento projetado pelo brasileiro — contíguo ao edifício da iraquiana Zaha Hadid, já em construção — será composto de duas torres residenciais e ocupará toda a extensão norte-sul do quarteirão entre as ruas 27 e 28. Um túnel vai cortar o terreno, criando um jardim privado para os moradores dos 36 apartamentos, que terão entre um e quatro quartos. O nome do complexo, aliás, será Jardim. Contratado por empreendedores americanos, Weinfeld vem trabalhando em silêncio há um ano. O lançamento deve ser em fevereiro, quando o estande de vendas fica pronto”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Mundo/Reportagem: Isabel de Luca/12/10/14