O site da Bamboo publicou em matéria: “Seis milênios de cultura são a essência do museu das civilizações, no líbano

Quando Rem Koolhas escolheu o tema Fundamentos para a Bienal de Arquitetura de Veneza de 2014, o arquiteto franco-libanês Galal Mahmoud imediatamente relacionou esta palavra às profundezas da sua cultura. Com 6 mil anos de história, o local onde hoje se encontra Beirute foi ocupado por gregos, romanos, bizantinos, otomanos e franceses. Cada um destes importantes povos ergueu sua própria cidade em cima das ruínas da anterior. Como resultado, o solo da capital libanesa contém resquícios das antigas construções, revelando a herança arqueológica e também a história política deste local de importância estratégica, entre Ásia, Europa e África.

Fonte:texto maria silvia ferraz / fotos divulgação
museu das civilizações, do gm architects