O caderno Zona Sul publicou em reportagem: “Com apenas 24 anos, ela já guarda na gaveta um prêmio “Florian Pfeffer: output award”, que seleciona anualmente os 80 melhores trabalhos de graduação em design e arquitertura em todo o mundo, e teve um de seus projetos entre os cinco selecionados pela 10ª Bienal de Design Brasileiro. Além disso, é a única brasileira selecionada pelo 89plus, programa internacional fundado pelos curadores Simon Castets e Hans Ulrich, que garimpa talentos entre artistas e designers nascidos a partir de 1989 para um período de três meses de imersão criativa no Google Cultural Institute, em Paris. Tal reconhecimento acontece logo após a apresentação do projeto “MoV_”, seu trabalho de final de curso, em fevereiro deste ano, aos curadores do programa que estavam de passagem pelo MAM. Ex-dançarina, a designer carioca Laís Tavares conseguiu criar uma forma de representar graficamente gestos e movimentos a partir de seis estilos de dança diferentes, o Hip Hop, o House, Krumping, Waacking, Locking e o Popping”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Zona Sul/Reportagem: Monique Vasconcelos/04/09/14