O site da Bamboo informou em reportagem: “O diretor-geral do sesc-sp acredita no potencial da cultura e se preocupa com o endurecimento das relações

Diretor-geral do Sesc-SP desde 1984, Danilo Santos de Miranda tornou-se conhecido por gerenciar uma instituição que tenta conciliar quantidade – suas 35 unidades na capital e no interior receberam aproximadamente 22 milhões de pessoas no ano passado –, qualidade e diversidade.

Embora a arquitetura e o urbanismo não sejam propriamente frentes de sua programação, as duas áreas estão, ao mesmo tempo, no plano de fundo e no horizonte permanente da instituição cultural. A unidade icônica da Pompeia, projetada por Lina Bo Bardi nos anos 1980, acaba de ser tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional; o Sesc Edições lançou há poucos meses uma coleção de livros sobre os pioneiros da habitação social, coordenada pelo secretário paulistano de Cultura, Nabil Bonduki; e suas unidades sediaram alguns dos principais eventos da última Bienal de Arquitetura, em 2013. Em 2010, a instituição deu um passo ousado ao transferir sua administração central da avenida Paulista para o Belenzinho, na zona leste, a fim de contribuir para a valorização da região.”

Fonte: texto gabriela longman / fotos ruy teixeira

Leia mais em: http://bamboonet.com.br/posts/o-diretor-geral-do-sesc-sp-acredita-no-potencial-da-cultura-e-se-preocupa-com-o-endurecimento-das-relacoes