O arquiteto e urbanista Sergio Conde Caldas publicou um artigo no Morar Bem: “Inegavelmente, o Rio de Janeiro possui uma das paisagens urbanas mais belas do mundo. Eleita Patrimônio cultural da humanidade desde 2012, a cidade foi a primeira do planeta a receber o título na categoria “Paisagem Cultural”, na qual nossa qualidade natural é valorizada pela ação do homem. A massa construída no Rio de Janeiro proporciona um enquadramento visual à natureza e a sua população agrega um ingrediente primordial à arquitetura para transformar essa grande cidade num turbilhão efervescente de cultura e vistas. Praias, montanhas, lagoas, rios e vegetação exuberante sempre estiveram aqui, mas foi o dedo do homem através do desenvolvimento urbano, do patrimônio histórico e de sua capacidade de emoldurar estes bens naturais que tornou a cidade do Rio de Janeiro o que ela é hoje. O desenvolvimento foi pautado pelo planejamento urbano e, ao mesmo tempo, pela falta de planejamento associada a falhas de fiscalização. Trouxe características distintas a zona sul, zona norte, oeste e Central. O valor da vista está intimamente ligado esse a planejamento ou, de novo, a falta dele”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Morar Bem/Artigo de Sergio Conde Caldas/10/05/15