De acordo com matéria do caderno Rio, “com o avanço das obras na Zona Portuária — uma área que vem passando pela maior transformação urbana das últimas décadas no Rio —, uma questão tem chamado a atenção de arquitetos e urbanistas: a criação de espaços públicos. Sem eles, o modelo de ocupação poderá ficar restrito aos centros comerciais. A concessionária que administra a região afirma que não há razões para preocupação, já que essas áreas vão ocupar um território de 228.693 mil metrosquadrados. No projeto inicial, eram apenas 84,8 mil metros quadrados, o que  representa um aumento de 170%. A principal aposta do novo  desenho é o prologamento do passeio público, que ligará o Museu do Amanhã à Praça Quinze, num traçado de 2,6 quilômetros à  beira-mar. No mapa da região preparado pela Companhia de Desenvolvimento do Porto  (Cdurp), é possível ver seis novas praças e cinco passeios públicos”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Rio/ Reportagem: Fernanda Pontes/ 29/07/13