Entre os dias 8 de agosto e 22 de setembro o Museu Histórico Nacional abrigará a exposição “Do moderno ao contemporâneo – o design brasileiro de móveis”, com foco nos dois momentos dinâmicos da produção nacional. Com curadoria de Marcelo Vasconcellos, sócio da galeria Mercado Moderno, e Zanini de Zanine, um dos destaques da nova geração de designers, a mostra irá ocupar a galeria da Casa do Trem, espaço de 370 metros quadrados no prédio histórico ocupado pela instituição. Composta por cerca de 80 cadeiras, poltronas, bancos e outros assentos de 10 designers modernos e 20 contemporâneos, entre seus nomes mais expressivos, a mostra promete ser uma ótima oportunidade de apresentar ao público um universo rico e expressivo que representa nossa cultura e economia criativa.

Zanini de Zanine justifica a opção por expor apenas assentos: “O design tem uma atuação muito ampla, mas as cadeiras, poltronas e outros assentos são um de seus vieses mais expressivos   historicamente, e com essa restrição procuramos, de certa forma, concentrar a interpretação do público sobre a diversidade de linguagens dos designers”. A exposição permitirá ao público ter uma visão de conjunto da produção nacional, apreciando obras autorais e percebendo, caso a caso, as semelhanças e peculiaridades de peças ícone de nosso mobiliário. Além de destaques como a poltrona Xibô, criação contemporânea de Sergio Rodrigues, figura simbólica do design moderno, e a poltrona Favela dos irmãos Campana, serão apresentados móveis clássicos como os da Linha Z, de Zanine Caldas, e a poltrona Mole, também de Sergio Rodrigues, e outros candidatos recentes a clássicos, como o banco Solo de Domingos Tótora e a poltrona Vidigal da dupla Latoog.

A mostra trará ainda, como destaque, uma sala dedicada ao design de Aida Boal. Uma das grandes criadoras do design moderno, Aida se encontra hoje ausente do mercado de design e seu nome é pouco falado, num processo recorrente, que manteve no ostracismo grande parte dos designers importantes do modernismo. Visto o frescor e a consistência de sua criação, os curadores aproveitam a oportunidade para homenageá-la. “Nosso objetivo foi combinar móveis clássicos dos dois períodos, já bastante conhecidos, com outros que vão surpreender o público. E a homenagem à Aida, neste
cenário, é muito oportuna, porque ela tem um trabalho de enorme consistência e grande reconhecimento para quem é do ramo, mas é pouco lembrada publicamente.”, afirma Marcelo Vasconcellos. Conheça na galeria de fotos algumas peças que estarão em exposição:

Do moderno ao contemporâneo – o design brasileiro de móveis:
Vernissage: dia 8/8 às 18h30
Exposição aberta ao público a partir de 09/08
Museu Histórico Nacional – www.museuhistoriconacional.com.br
Praça Marechal Âncora, s/nº, próximo à Praça XV
Aberto ao público de 3º a 6º feira das 10h às 17h30 e aos sábados, domingos e feriados das 14h às 18h.
Ingresso: R$ 8. Aos domingos, a entrada é franca. Estão isentos de pagamento (mediante comprovação): crianças até cinco anos de idade; sócios do Icom – International Council of Museum; funcionários do Ibram e do Iphan; alunos e professores das escolas públicas federais, estaduais e municipais; brasileiros maiores de 65 anos; guias de turismo e estudantes de museologia. Alunos agendados da rede particular de ensino e brasileiros maiores de 60 anos e menores de 65 anos pagam a metade do valor. Ingresso Família (dois adultos e dois estudantes) R$ 20,00.