Segundo matéria do caderno Serra, “em mãos criativas, a madeira toma forma de biojoias ou de peças maciças e unidas apenas por encaixes — Ebanista. Designer de biojoias. Essas profissões podem não ser muito conhecidas, mas uma pista para a descoberta do que se trata é o fato de ambas terem em comum o trabalho com a madeira. O ebanista trabalha a marcenaria em sua forma mais tradicional, criando peças maciças e unidas apenas por encaixe. Esta é a profissão de Ricardo Graham Ferreira, que mantém sua oficina em Mury”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Serra/Reportagem: Amanda Moura/17/01/15