O caderno Ela desta semana publicou em matéria: “Quantas formas existem na linha do tempo entre o móvel histórico brasileiro e o design contemporâneo? Da pureza das linhas e da simplicidade na manufatura ao uso de novos materiais, muita coisa aconteceu- até mesmo a retomada das formas simples.

Nos últimos 90 anos, nomes como Joaquim Tenreiro, Lina Bo Bardi, Geraldo de Barros, Zanine Caldas, Jorge Zalzupin, Sergio Rodrigues, Ricardo Fasanello, Oscar Niemayer, Carlos Motta, Irmãos Campana, Jader de Almeida e Zanini de Zanine deram cara para o mobiliário nacional, transformando-o em objeto de desejo. O que é bom está a tempos sendo feito aqui mesmo, acabando com a teoria de que o melhor precisa vir de fora.”

Fonte: por Lívia Breves / Jornal O Globo