Segundo matéria do caderno Rio, “um ano depois de desistir de um projeto de reestruturação da Marina da Glória, o empresário Eike Batista tenta aprovar um novo plano com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A proposta é uma versão simplificada da anterior: no lugar dos 45 mil metros quadrados de área construída, ele agora sugere ocupar 20 mil metros quadrados. Assim como o anterior, o projeto já cria polêmica. De um lado estão moradores da região e arquitetos, que temem a descaracterização do parque; do outro, a prefeitura e a Associação
Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ), que defendem o projeto por acreditar que ajudará a ‘desenvolver o turismo’ na cidade”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Rio/ Reportagem: Emanuel Alencar e Luiz Ernesto Magalhães/ 14/01/13