Ao completar 80 anos, o arquiteto Paulo Casé acaba de lançar um livro que reúne grande parte de sua trajetória profissional, “Paulo Casé 80 anos: vida, obra e pensamento”. Consagrado como um dos grandes nomes quando o tema é urbanismo carioca, ele adora falar (e criticar) da cidade onde estão a maior parte de suas obras. “A boa arquitetura tem o homem como princípio. Gosto de espaços feitos para o encontro, como os que existem em várias regiões da zona sul e também na zona norte. Já na Barra da Tijuca, o projeto de ocupação não privilegia esquinas, botequins, praças. É um bairro com prédios sem harmonia estética e qualidade arquitetônica”, apontou ele em recente entrevista. Hoje, com o escritório a pleno vapor, ele fala do que vem por aí: o projeto de reforma um prédio na avenida Rui Barbosa, que vai virar um hotel, a convite do empresário Eike Batista. Isso entre vários outros.  E aproveita para criticar os preparativos para que o Rio seja sede dos Jogos Olímpicos. “As exigências internacionais são desmedidas para países ainda em desenvolvimento”, afirma, em tom polêmico. Leia mais em Entrevistas.