Segundo matéria de capa do Segundo Caderno, “último brasileiro a vencer o Pritzker — o prêmio Nobel da arquitetura —, depois apenas de Oscar Niemeyer, Paulo Mendes da Rocha é um nome  fundamental da arquitetura brasileira. Capixaba de nascimento, radicado em São Paulo (onde construiu uma identidade arquitetônica até hoje seguida) desde menino, o arquiteto ganha nesta  sexta-feira — um dia após completar 84 anos — a maior retrospectiva de sua carreira, no Museu Vale, em Vitória. ‘Paulo Mendes da Rocha: a natureza como projeto’ vai ocupar  toda a instituição com 20 de seus trabalhos mais importantes, como o Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) e a reforma da Pinacoteca do Estado de São Paulo, em maquetes e dois filmes feitos pelo documentarista  Gustavo Moura (autor de ‘Cildo’, sobre o artista plástico Cildo Meireles). Em entrevista ao GLOBO, Mendes da Rocha discorre sobre as mudanças urbanísticas no Rio, o ‘desastre’ do automóvel e a  falta de parcerias do governo com bons arquitetos para a elaboração de projetos públicos. E afirma: ‘A cidade é tão importante quanto a língua’.” Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Segundo Caderno/ Reportagem: Catharina Wrede/ 24/10/12