Roberta Moura acaba de dar a luz. Literalmente. Depois de se tornar mãe de primeira viagem de um casal de gêmeos e se afastar por seis meses, ela voltou a assumir seu escritório em Ipanema, com o frescor e energia renovados. E, junto com as sócias Paula Faria e Luciana Mambrini, assina a Suíte de Hóspedes do Casa Cor, que acontece em outubro. “Vamos propor uma integração bacana entre quarto e sala de banho e queremos explorar o contraste da arquitetura secular da casa com interferências contemporâneas. E tudo com muita arte, nossa marca registrada”, avisa ela que, antes de seguir carreira solo, trabalhou em escritórios badalados como Índio da costa, Bernardes & Jacobsen e ainda durante três anos com a arquiteta Marcia Müller. “Só tenho craques no currículo. Esse passado me deu uma base sólida e consistente para construir um estilo próprio, atemporal, despojado, que procura respeitar as referências estéticas e a personalidade do cliente”, completa ela.

RD: Conte um pouco sobre a Suíte dos Hóspedes, que vocês assinam no próximo Casa Cor.
R.M: Vamos fazer uma grande integração entre o quarto e a “sala de banho”.  O espaço é amplo e generoso, com 31 metros quadrados e pé direito alto. Brincaremos com o contraste entre a belíssima arquitetura original da casa com interferências bem contemporâneas. Todas as paredes, base da cama e bancada serão em concreto.  Haverá uma iluminação teatral com canhões de luz e instalações de arte contemporânea. O piso original em madeira e as sancas do teto serão mantidas, são maravilhosas!

RD: E a sua trajetoria profissional? Você começou bem jovem a trabalhar com craques, não?
R.M: Sou formada em arquitetura e urbanismo pela Universidade Santa Ursula. Desde cedo comecei a estagiar. Meu primeiro estágio em arquitetura foi no Indio da Costa, depois passei pelo escritório do Bernardes e Jacobsen e ainda no Cadas. Já formada, fui trabalhar com a arquiteta Marcia Müller, de onde saí 3 anos depois para montar meu próprio escritório. Trabalhar junto com esses grandes nomes da arquitetura ajudaram muito na minha formação, mas nunca parei de estudar, me informar e me atualizar. Essa renovação é essencial.

RD: Como está o seu escritório no momento?
R.M: Nosso escritório está em uma grande fase. Depois de ter tido um casal de filhos gêmeos e ficado afastada por 6 meses, encontrei o mercado bem aquecido. Agora, junto com as minhas sócias Paula Faria e Luciana Mambrini, estamos com uma equipe fantástica no escritório e vários projetos como casas em São Paulo e Rio, além de lojas e vários apartamentos bacanas!!! Adoramos essa diversidade.

RD: Que tipo de arquitetura tem a sua assinatura?
R.M: Muito difícil definir nossa assinatura. Tentamos fazer algo atemporal, chique, despojado e, principalmente, com a personalidade e o estilo do cliente.

RD: Que designers brasileiros você gosta?
R.M: Sergio Rodrigues, Jader Almeida, Carlos Motta, Claudia Moreira Salles… O design brasileiro está incrível, não precisamos mais dos estrangeiros para nada!

RD: E artistas plásticos?
R.M: Nossa! Vários… Ernesto Neto, Nelson Felix, Adriana Varejão, Gabriela Machado, etc… Tive a oportunidade de conhecer o trabalho de um artista bem legal essa semana, o Zemog! Amo também gravuras. O importante é ser eclética e ir nas exposições, galerias. Esse universo enriquece o meu trabalho.