Segundo matéria do Zona Sul, “durante dez anos, o trajeto de casa para o trabalho do comerciante Julio Lopes era um passeio que passava pelos principais cartões postais do Rio. Em 2011, alternando a estadia na casa da tia, em Ipanema, e na da avó, no Rio Comprido, ele postava nas redes sociais as paisagens clicadas na Zona Sul. Em dezembro do ano passado, veio a ideia de tirar as imagens da tela e colocá-las na parede. — Todo mundo falava que eu deveria fazer algo a mais com as fotos. No fim do ano, revelei algumas para fazer um álbum e guardar de recordação. Fiz testes de papel até chegar nesse tipo fosco, que não tira o brilho e nem as cores. Revelei algumas e guardei. Num dia, estava na casa de uma amiga, e vi uma moldura vazia. Peguei emprestada e, em casa, montei um quadro com as fotos que eu tinha revelado. Na hora, veio a ideia de vender — lembra. O sucesso foi gradativo e o apoio dos “curtidores”, fundamental. As fotos ganharam um perfil no Instagram, o JulioLopesArt. Outra mudança, foi o pedido de demissão no emprego para ter tempo de se dedicar ao hobby que virou negócio”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Zona Sul/Reportagem: Carolina Callegari/26/03/15