A coluna Em casa, por Marcia Müller, publicou em nota: “Bem, agora, até na culinária, os insetos estão em alta! Na arrumação da casa em tecidos pintados na parede ou estampados no papel de parede, insetos dão um charme! Eu, particularmente, adoro, e amo libélulas. O nome já é lindo, e a forma eu acho encantadora. Coloco libélulas em tudo que posso: vai desde cúpulas de abajur, paredes, até nos tecidos. Considero insetos, tais como a libélula, formas extremamente femininas e, quando usadas, dão um toque assim para a casa. Borboletas também estampadas no tecido são superfemininas e ficam lindas. As formas arquitetônicas dos insetos sempre me encantaram – delicadas e leves. Mostro a minha mania de libélulas; coloquei muitas delas nas paredes, cúpulas, até na minha logo. A Manu Müller, que também adora, abusou das libélulas no projeto da sala, pintando libélulas no biombo. Dominique Jardy, artista plástica francesa, mas muito brasileira porque já vive aqui há muitos anos , faz divinas libélulas, abelhas, borboletas e outros lindos insetos nas paredes das casas, tornando-as leves e elegantes. A mania de insetos agora pode estar na moda, mas, na Belle Époque (1900), nos abajures Tiffany, por exemplo, eternizaram-se nas cúpulas como verdadeiras joias. Assim como todos os grandes artesões da época, ali os insetos viraram vedetes e suas formas anatômicas, arte. Hoje, de uma forma bem menos exagerada, eles dão sempre um toque de graça e leveza”. Leia mais no blog.

Fonte: Lu Lacerda/10/12/13

http://lulacerda.ig.com.br/em-casa-por-marcia-muller-mania-de-insetos/