O caderno Zona Sul informou em reportagem: “A cidade está repleta de grandes obras, capitaneadas pelos investimentos vindos a reboque com a Copa deste ano e as Olimpíadas de 2016. Mas o Cosme Velho parece passar imune a essas transformações. Seria menos curioso se o bairro não fosse justamente um dos que mais recebe turistas ao longo de todo ano, por causa da subida para o Cristo Redentor. Este mês, completa um ano que a prefeitura publicou um decreto de desapropriação de quatro casas do Largo do Boticário (números 20, 26, 28 e 30). O plano seria, em seguida, abrir uma licitação para escolher uma empresa hoteleira que criaria no espaço hotéis e bistrôs de pequeno porte. Segundo a prefeitura, no entanto, a negociação com a proprietária dos imóveis ainda está em curso. Um francês, que há um ano mora na casa 32 do Largo do Boticário, afirmou ao GLOBO-Zona Sul estar ali para negociar a compra dos imóveis alvos de desapropriação. Seu plano é montar uma rede de pequenos hotéis cinco estrelas, com restaurantes-butiques. Ele não quis se identificar, mas disse ainda que o renomado arquiteto Isay Weinfeld já faz um projeto para o hotel”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Zona Sul/ Reportagem: Leandra Lima/13/03/14