A coluna Design Rio trouxe em matéria: “Quando começou a trabalhar num escritório de arquitetura, a carioca Monica Pondé até desenhava projetos de casas e ambientes, mas sua imaginação teimava em escapar para os detalhes. Vira e mexe, ela se pegava rabiscando móveis, maçanetas e até talheres da futura residência do cliente. Não demorou muito para a sua faceta arquiteta ser engolida pela porção designer. E, passados mais de 20 anos, ela fica à vontade na função joalheira-arquiteta, desenvolvendo um tipo de joia que nasce da pesquisa da realidade urbana. — Sempre gostei dos detalhes. Fiz arquitetura, mas sonhava com desenho industrial. Meu pai não queria. Então passei a desenhar objetos e decidi cursar ourivesaria no ateliê de Márcio Mattar. Gosto de prata e comecei desenhando utensílios domésticos, como talheres e mexedores de drinques. Quando vi, estava fazendo joias — conta Monica Pondé”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Rio/Design Rio/Reportagem: Simone Candida e Ludmilla de Lima/01/05/16