O caminho da reforma desse triplex em Ipanema não estava agradando sua proprietária, que convidou a arquiteta Ketlein Amorim para solucionar um problema: o que fazer no espaço sob a escada. Ketlein não só encontrou uma solução como fez observações e sugestões que poderiam melhorar a planta do imóvel. Foi o bastante para Vera pedir que a arquiteta assumisse o restante da obra.

A planta original de 162 metros quadrados com mezanino não ajudava e as exigências também não eram poucas: Vera e o marido queriam conservar o mármore da escada e móveis de valor sentimental, além de ter melhorias na ventilação e iluminação da cozinha, uma área de serviço maior e uma dependência de empregada com split e ventilador. E tudo isso no prazo de 40 dias, que acabou sendo o maior desafio. Com parte da estrutura já demolida, Ketlein deu início à transformação. No primeiro andar, aumentou o tamanho da área de serviço e redimensionou a dependência de empregada, que ganhou uma suíte, tudo sem comprometer o tamanho da cozinha, que ainda ganhou uma janela maior. Na sala, sob a escada, foi criado um espaço para acomodar adega, frigobar, TV e home theater, itens essenciais segundo a cliente. No mezanino, duas paredes foram demolidas para integrar o escritório à sala. A alvenaria da escada foi derrubada e substituída por um guarda-corpo de vidro.

No terceiro piso, a arquiteta transformou um closet que funcionava como ante-sala em um banheiro social. Já o quarto da filha, também um mezanino, ganhou uma janela. Para atender os quartos, Ketlein usou um móvel no corredor para criar uma pequena copa. Todo o projeto luminotécnico foi repensado e ganhou novas instalações. Como o casal tem rotinas diferentes, Ketlein replanejou o espaço do closet do quarto e criou dois ambientes distintos, isolados um do outro e com janelas que não existiam no projeto original. A decoração primou pelo equilíbrio. “Conservei o mobiliário clássico que eles estimavam e mesclei tecnologias e produtos mais modernos, sobretudo na cozinha e na lavanderia. Optamos por armários discretos e cores claras para valorizar mais ainda a ideia de espaço”, explica. Com as mudanças, o apartamento praticamente dobrou de tamanho. “O triplex tinha um potencial enorme que era extremamente mal aproveitado. O projeto conseguiu explorá-lo por completo e ainda foi capaz de atender aos desejos mais minuciosos dos clientes, que ficaram super satisfeitos”, conta a arquiteta.

Projeto de luminotécnico e de forro: Prolight

Mobiliário do quarto da menina, closets casal, banheiros e mezanino: Roma Mobili

Cozinha: Florense

Tecidos e cortinas: Orlean

Fotos: MCA Estúdio