O título da exposição de Maritza de Orleans e Bragaça já diz tudo: Contrastes. E sua formação complementa o conceito: paisagista e artista plástica, Maritza une, na mostra, as duas fontes de seu trabalho. Esculturas geométricas em aço corten incorporam avencas, samambaias, marantas, orquídeas, rosas, folhagens, enfatizando a dualidade entre o inorgânico e o orgânico, a rigidez do aço e a fragilidade das plantas. São 16 esculturas que serão mostradas a partir de amanhã, 9 de maio, no Escritório de Arte, um charmoso sobrado no Horto. A ideia surgiu na edição de 2010 da mostra Casa Cor Rio, quando Maritza montou, no jardim do palacete Modesto Leal, em Laranjeiras, a instalação de um labirinto em aço onde contava a história da evolução das plantas. E amadureceu na edição do ano passado, quando mostrou uma prévia deste trabalho.

“Minha proposta foi, através desse encontro entre leveza e rigidez, fazer uma analogia ao que vemos no urbanismo de nossas cidades. É impressionante a capacidade das plantas de se proliferar e crescer em locais inóspitos como as frestas de construções, telhados abandonados e outros ambientes hostis”, explica a artista, que tem um processo de criação bem interessante. A ideia já parte de um protótipo tridimensional, com a manipulação de papel, em que Maritza vai criando as formas, as linhas, os contornos e os volumes. Depois digitaliza a forma final e ruma para o serralheiro, acompanhando o trabalho de corte e montagem do início ao fim. As plantas são o complemento do conceito de cada peça.

Assim surgem esculturas como Livro, em que uma chapa de metal recortada serve de base para outras duas em ângulo, como um livro aberto, ou Muralha, um painel em zigue-zague de 2m x 1,60m, como um muro em que brotam árvores da felicidade, avencas, orquídeas e outras espécies. Ou ainda Entretelas, em que aço corten e uma tela em arame conversam com uma delicada coluna de rosas amarelas, cor de chá, alaranjadas e vermelhas. Outro destaque é a série Concêntricas, com três peças que exploram curvas que se entrelaçam, invadem uma a outra e abrigam a delicadeza de uma orquídea. Como são peças que recebem organismos vivos, Maritza de Orleans e Bragança projetou um sistema de retenção de água em cada uma, para facilitar a manutenção das plantas.

Contrastes – Esculturas de Maritza de Orleans e Bragança:

Escritório de Arte- Rua Pacheco Leão, 758, sobrado – Horto

Versinssage: 9 de maio, às 19h

Até 25 de maio

Horário: de 3ª a 6ª, das 14h às 19h; sáb., das 16h às 19h.

Fotos de Divulgação