Em matéria da Bamboo, Washington Fajardo fala sobre o mapeamento da arquitetura modernista nas Zona Norte e Oeste do Rio de Janeiro. Segundo a reportagem, “há no Rio de Janeiro uma sensação de que a cidade sempre foi voltada para o mar. E que os bairros que participam desta vocação de beira de praia também são os mesmos bairros que irradiaram ao longo da história suas definições estéticas em todos os níveis. Da Bossa Nova ao Aterro do Flamengo, a zona sul e o centro foram os espaços urbanos cristalizados como a representação de um Rio cosmopolita e moderno. No que diz respeito à arquitetura, porém,
 estas representações devem ser revistas. Ao menos as inovações da arquitetura modernista têm profundas relações com as áreas que se desenvolveram ao longo da Baía de Guanabara e demais baías da cidade. Ainda nos anos 1920, a arquitetura carioca acompanha a ampliação da cidade através de sua malha ferroviária cruzando as zonas norte e oeste. Com o intuito de renovar o tema e apresentar novas possibilidades nesse debate, o Secretário de Patrimônio da Prefeitura, Washington Fajardo está à frente de um amplo mapeamento da presença desta arquitetura modernista em outros espaços fundamentais da cidade”. Leia mais na Bamboo.

Fonte: Bamboo/ Reportagem: Frederico Coelho/ 30/11/12