O caderno Rio trouxe em seu Obituário: “Dono de um estilo sóbrio e requintado, o arquiteto e designer de móveis Luiz Fernando Redó vivia, aos 66 anos, uma ótima fase. Depois de sair de um período de depressão, havia retomado seu escritório e iria participar do próximo Casa Cor Rio, que começa em 29 de outubro, criando uma das varandas. Redó fazia parte do grupo top de profissionais cariocas que despontaram no fim dos anos 1970. Mais focado em interiores residenciais, assinou projetos em Nova York, Venezuela, Montevidéu e Bahamas. Mas se orgulhava mesmo era de ter decorado a pousada Locanda della Mimosa, em Petrópolis. O arquiteto Carlos Hansen, seu sócio durante 37 anos, até 2004, conta que estava feliz com a sua volta: — Ele era franco, generoso. Seus ambientes no Casa Cor eram quase sempre espaços com bar e lugar de convivência. — Ele foi o autor do maior número de bares do Casa Cor. Estamos programando fazer uma homenagem a ele — disse Patricia Mayer, sócia da 3Plus, organizadora do evento. Redó não resistiu a um infarto fulminante na madrugada de ontem. Seu corpo será velado hoje, no Memorial do Carmo, e cremado às 14h”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Rio/Obituário/09/10/14