A Casa de Petrópolis Instituto de Cultura abre às portas, neste próximo sábado (5/02), para a exposição “Juntos”, de John Nicholson e Vanda Klabin. A mostra homenageia o Rio através de pinturas e fotografias que retratam a praia e o mar de Ipanema sob diferentes aspectos. 

Jonh Nicholson e Vanda Klabin já expuseram na Casa de Lauro Alvim na mostra DUO sob curadoria de Marcia Zoé Ramos. Em Petrópolis, os artistas expõem suas obras a convite de Luiz Aquila. 

 

“Na velha tradição carioca de veranear em Petrópolis, as criações dos artistas John Nicholson e Vanda Klabin sobem a Serra. Vanda acompanha o sol o ano inteiro, a alvorada e o crepúsculo da janela de seu apartamento em Ipanema. Essa atividade resulta em fotos muito pictóricas e tocantes. John, morador veterano do Rio, e observador da cena humana, ora praieira ora não, como nas fotos de Vanda Klabin, transpõe para sua tela com sabedoria e sensibilidade essas experiências visuais”, comenta Luiz Aquila que é diretor de arte e cultura da Casa de Petrópolis e amigo dos artistas há quatro décadas. “Irei dividir com todos os visitantes da exposição o prazer de acompanhar o diálogo plástico tão interessante desses dois artistas”. 

Sobre os artistas

Há mais de 40 anos no Brasil, o americano John Nicholson tem as praias da Zona Sul como principal cenário de suas obras. Em “Juntos”, ele, que foi professor de vários artistas, alunos do Parque Lage, como o de Daniel Senise, apresenta aquarelas da série “A Rita Levou…”, inspirada na jornalista Rita Capell, moradora de Ipanema. John criou estreita relação com o cenário do qual hoje resulta a mostra, onde fotografa e pinta sua musa em momentos como o jogo de altinha na praia, o balanço a caminho do mar e ao violão no fim do dia. 

“Gosto de observar o Rio de Janeiro e sua luminosidade intensa, com seus ritmos barulhentos e vitais. Nesse trabalho retrato a nova garota de Ipanema, agora madura, independente, que curte o sol, mas trabalha e decide o próprio futuro”, explica John. O público poderá́ admirar ainda na exposição pinturas em acrílico abstratas, da série “Abstratos Líricos”, que com suas cores, complementam as curvas e vibrações da cidade. 

Uma das principais curadoras do país, Vanda Klabinnasceu em Ipanema, onde passou parte da infância. Voltou a viver no bairro na década de 1990, de onde fotografa quase diariamente de sua janela o amanhecer e o entardecer na praia. Sempre inquieta e envolvida com inúmeros projetos ao mesmo tempo, em “Juntos” ela apresenta ao público esses registros, que também costuma postar no Instagram. Suas fotos passaram a ser referência para surfistas observarem o movimento das ondas. 

“É um olhar quase cotidiano, uma imersão na beleza convulsiva da  paisagem de Ipanema que irradia um fluxo poético ao orquestrar grandes áreas de cor. A paisagem tem a gramática da pintura e os meus registros são conversas acaloradas com o campo pictórico, são composições cromáticas de vibrações diversas. A captação regular do amanhecer e do entardecer, tem um desbravar, um novo acontecer, uma espécie de jogo caleidoscópico de visão rotineira, cotidiana – mas traz sempre uma nova visão do mundo”, explica Vanda.

A Casa de Petrópolis Instituto de Cultura fica no número 716 da Avenida Ipiranga, no Centro Histórico de Petrópolis. Os ingressos custam R$ 12 a inteira e R$ 6 a meia entrada e o espaço funciona de quarta a domingo, das 10h às 16h.