De acordo com matéria do caderno Rio, “em apresentação que lotou o auditório do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RJ), no Flamengo, o Grupo EBX admitiu que alguns pontos do projeto de reestruturação da Marina da Glória podem ser revistos, para atender a reivindicações dos donos de embarcações. O arquiteto Luiz Eduardo Indio da Costa afirmou que a proposta — que prevê a construção de um centro de convenções para até 700 pessoas — não está acabada. O Iphan aprovou o anteprojeto, que estabelece mudanças numa área de 20 mil metros quadrados, em 29 de janeiro. Na reunião, o presidente do conselho da Associação de Usuários da Marina da Glória, Alexandre Antunes, criticou o que chamou de “projeto imobiliário”, que não atende prioritariamente aos serviços náuticos. Um dos pontos mais criticados do projeto é a previsão de criação de 50 vagas secas — fora do espelho d’água — só para pequenos barcos (hoje são mais de cem). A proposta da EBX, por outro lado, aumenta as vagas aquáticas de 150 para 450. Marco Adnet, diretor da REX, empresa de Eike Batista que conduz o processo de mudanças na área, afirmou que tudo está sendo feito ‘dentro da lei’.” Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Rio/ Reportagem: Emanuel Alencar/ 25/04/13