O site da Casa Claudia publicou em reportagem: “Foram cerca de quatro anos para o esqueleto montado com aço, cimento e vidro se tornar uma realidade em plena Praça Mauá. Para o Museu do Amanhã tomar forma, o imenso viaduto da Perimetral, que afastava com sua via expressa a área do Porto da Baía de Guanabara, foi posto abaixo. Sem barreiras, e com um traço livre e orgânico, o arquiteto espanhol Santiago Calatrava desenhou uma silhueta alongada de 15 mil m2 – em grande parte sustentada por pilares submersos, sobre o espelho de água – com inspiração na forma das bromélias que conheceu e se encantou no Jardim Botânico. “A ideia inicial era montar o museu utilizando os antigos galpões de armazenamento do porto. Mas, em um dado momento, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, sugeriu o píer na Praça, simbolizando a transformação do local em um ponto de encontro, o marco zero da revitalização”, explica Lucia Basto, gerente geral de Patrimônio e Cultura da Fundação Roberto Marinho, órgão que fez a gestão do projeto, em parceria com a prefeitura”. Leia mais no site.

Fonte: Casa Claudia/Reportagem: Simone Raitzik/Fotos: Divulgação e de André Nazareth (interiores)/17/12/15

http://casa.abril.com.br/materia/com-projeto-de-santiago-calatrava-museu-do-amanha-e-inaugurado-no-rio