Ela reúne em seu currículo muitos projetos e também trabalhos acadêmicos e é conhecida por pensar a sustentabilidade na Arquitetura em ambas as áreas. Única arquiteta com escritório licenciado para fazer a certificação BREEAM de edifícios verdes da América Latina, Viviane Cunha é Doutora em Teoria do Espaço Arquitetônico pela Universidade Federal do Rio Janeiro, com bolsa sanduíche pela CAPES na University College London – UCL na Inglaterra. Na profissão há 27 anos, ela trabalha com projetos que têm a sustentabilidade como foco desde 2007. Em entrevista ao Radar Decoração, Viviane conta que começou a pensar na importância da sustentabilidade estudando o assunto e explica como desenvolve seu trabalho.

Projeto para Centro de Referência Ambiental, Rio de Janeiro, 2010

RD: Como a sustentabilidade surgiu para você como forma de trabalhar?
V.C: Gosto de estudar e entrando nesse setor me espantei ao ver como fazer projetos sustentáveis é uma ideia urgente e grande e tem a ver com a nossa área. A construção é o setor que mais impacta. Sustentabilidade não é um luxo ou mda, mas uma necessidade. Por isso me voltei pra esse foco. É uma bandeira, uma mudança no modo de pensar e agir, lidar com o processo de uma maneira diferente. Você trabalha meio na contramão, vira uma chata. Para fazer bem feito, tem que entender de materiais muito complexos. Os produtos têm diferentes tipos de impacto ambiental e entender de uma só questão não resolve o assunto. É preciso estudar muito. Entrei nessa história de ser certificadora e isso me levou a pensar o assunto em outras áreas, sempre baseada em pesquisa.

Projeto residência sustentável Petrópolis, Rio de Janeiro, 2009

RD: Sempre que um cliente te procura, está querendo fazer um projeto que leve em conta a sustentabilidade?
V.C: Nem sempre. Muitos são amigos e conhecem meu trabalho mesmo antes de eu começar a trabalhar com esses materiais. Busco sempre levar para esse foco, mas sou realista, porque no Brasil não temos muito materiais. Mas mesmo quando o cliente não tem esse foco tento puxar para isso. Você pode ponderar e tentar especificar nessa direção, mas há produtos que infelizmente ainda não chegaram aqui. Estou fazendo a casa de uma psicóloga, por exemplo, que não me procurou por esse motivo, mas se sensibilizou com a causa. Muitos dizem que é mais caro, o que não é verdade.

 

Projeto residência sustentável, Rio de Janeiro, 2010

RD: Como acadêmica, que disciplinas você ministra atualmente? Tem artigos com esse foco?
V.C: Na FGV, Conceituação de Projeto e Projetos Sustentáveis. Também estamos no meio do curso de Sustentabilidade em Áreas Urbanas e Edificações no IAB-RJ.Quanto aos artigos nessa linha, tem um que publiquei agora no fim do ano sobre o impacto das tintas no meio ambiente. Publiquei também no Vitruvius sobre madeira certificada, o que justifica uma madeira ter ou não certificação.

Concurso Museu do Meio Ambiente, prédio principal, 2009


http://www.vivianecunha.com.br/

Imagens de Divulgação