Segundo matéria da Revista, “eles amam cinza e odeiam bege. São menos clean e mais coloridos. Têm horror a teto rebaixado. Veneram um pé direito alto, de preferência com vigas e tubulação aparentes. Naturalmente, a forte personalidade de uma nova geração de arquitetos, que está dando o que falar no Rio, reflete-se em seus projetos. Em sua maioria, são jovens profissionais na faixa dos 30 anos que, depois de uma temporada em escritórios de renome, resolveram alçar voo solo para começar a traçar a própria história”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Revista O Globo/Especial Decoração/Reportagem: Joana Dale/25/10/15