Itaipava vai ganhar mais um condomínio de alto padrão. O Fazenda Itaipava, no centro da cidade. O terreno, com um milhão de metros quadrados, terá taxa de ocupação de apenas 4% e até mesmo dentro dos lotes haverá áreas de preservação ambiental. Todas as instalações (elétricas e de telefone) serão subterrâneas. Por isso, as ruas não terão nem postes. Apenas casas, bem afastadas umas das outras, com lotes de 3500 a 30 mil metros quadrados. O novo condomínio ainda nem começou a ser divulgado para vendas. A campanha publicitária deve começar este fim de semana. “Faz pouco tempo que começamos a vender alguns lotes para amigos”, diz o arquiteto Pedro Quintanilha, um dos donos da empresa Sincorá Construção e Incorporação, proprietária do terreno e responsável por este e outros empreendimentos de destaque na região, como o Quinta do Lago, o Vale da Mata, o Vale do Barão, o Vale do Pinhal e o Shopping Itaipava.

O Fazenda Itaipava, com apenas trinta lotes, promete ser mais exclusivo do que o precursor Quinta do Lago (com 150 lotes em 3,5 milhões de metros quadrados). Diferentemente do Quinta, o Fazenda Itaipava não terá flats, chalés nem área de lazer comum. Os serviços oferecidos serão o de manutenção e de segurança 24 horas. “Temos sempre essa preocupação com a segurança nos condomínios que fazemos. Os proprietários ficam tranquilos e, por isso, não precisam ter caseiros”, conta Quintanilha. As residências poderão ser feitas com o arquiteto de preferência dos proprietários, mas terão de respeitar os rígidos padrões de uma comissão interna que administra o condomínio, cujas restrições são ainda maiores do que a do próprio código de obras da cidade (em relação a gabaritos, afastamento entre casas e taxa de ocupação por exemplo). Foram sete anos esperando pela licença ambiental do terreno, que acaba de ser concedida. As obras de recuperação da área degradável já começaram a ser feitas e a previsão é de que em vinte e quatro meses o Fazenda Itaipava esteja pronto.