O caderno Rio publicou em reportagem: “O Centro Histórico de São Pedro da Aldeia, as Doze Fazendas Históricas do Vale do Paraíba, a Casa de Portinari no Cosme Velho, o Conjunto Habitacional do Pedregulho, a Casa do Azulejo em São Pedro da Aldeia, e o Museu do Índio são alguns dos bens tombados pelo governo do estado como patrimônio cultural nos últimos oito anos. Esse patrimônio foi incluído na nova edição do livro “Guia dos Bens Tombados” do Estado do Rio. São, ao todo, 165 bens tombados desde 2005 e 17 processos. A nova edição do livro, que será lançada na próxima segunda-feira, conforme antecipou a coluna Gente Boa, do GLOBO, cataloga 3.600 bens tombados no estado. Recheado de fotografias e histórias, a primeira edição do livro foi lançada em 2005. Só que, desde então, explica o diretor do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), Paulo Vidal, outros bens imóveis e paisagens naturais foram reconhecidos como patrimônio e tombados. A nova edição será distribuída para bibliotecas, prefeituras e órgãos públicos do estado. Nas 135 páginas do guia, será possível fazer um passeio pelos bens naturais e conhecer um pouco a história de cada um. As imagens convidam a uma viagem pelos municípios que abrigam um pouco da história do estado e da cidade do Rio de Janeiro, declarada recentemente Patrimônio Mundial pela Unesco. Obras de arquitetura como o obelisco da Avenida Rio Branco e um conjunto de sete edifícios do período de Pereira Passos, tombados em 2006, também são elencados no livro”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Rio/Reportagem: Ana Cláudia Costa/14/12/13