Abre dia 27 de fevereiro, no Centro Cultural Banco do Brasil, a elogiada retrospectiva “Anticorpos – Fernando & Humberto Campana 1998-2009”. A mostra, que fica em cena até 6 de maio, tem curadoria de Mathias Schwartz-Clauss, do Vitra Design Museum, na Alemanha, e já rodou alguns países europeus e também passou por Brasília e São Paulo. Entre os destaques da exposição estão a Poltrona Vermelha (que projetou a dupla internacionalmente), as poltronas Banquete e Favela e o sofá Kaiman.

“Anticorpos” conta com mais de 60 peças de mobiliário, além de luminárias, joias, figurinos, objetos de decoração, desenhos,  maquetes de arquitetura e também parte da coleção pessoal dos Campana. Reverenciados em todo o mundo, os irmãos paulistas são conhecidos pela irreverência de suas criações e a variedade de materiais que usam para fazer os trabalhos,  de bichinhos de pelúcia à cordas, papelão, garrafas pet e plástico. Antes da onda de sustentabilidade virar moda, eles já reciclavam materiais descartáveis, tranformando-os em verdadeiras obras de artes.


Mais do que designers, os dois hoje são considerados grandes artistas. Já  fizeram, por exemplo, cenários e figurinos para o Ballet National de Marseille e o musical Peter and the Wolf, encenado em Nova Iorque. Inventaram, literalmente, novas modas para marcas famosas Grandene e Lacoste. Criaram joias para a HStern.

Produzida na Alemanha, a mostra reúne peças de colecionadores do mundo todo e também do Estúdio Campana, localizado no bairro paulista de Santa Cecília. As criações da dupla integram coleções permanentes  de insituições importantes como as do MAM, de São Paulo, do Centre Georges Pompidou, em Paris, e do MoMA, de Nova Iorque, em cujo acervo está a famosa Poltrona Vermelha.

A retrospectiva reconta um pouco da trajetória dos irmãos em diferentes módulos, entre eles, Fragmentos, Objetos Trouvés,  Varetas, Planos Flexionados, Objetos de Papel, Agrupamentos e Orgânico.  Programa imperdível !