O Segundo Caderno trouxe em nota: “Na tela, um bebê é lançado como um projétil, e durante o voo cresce, se torna adolescente, adulto, velho, até enfim cair em seu túmulo. O vídeo serviu de ponto de partida para a palestra que o designer francês Mathieu Lehanneur apresentou na manhã  de sábado na Casa do Saber O GLOBO, na qual defendeu um  design que seja mais voltado para a vida, para o homem, do que para os objetos em si. — Essa é a vida — disse, referindo-  se ao vídeo. — Ela é curta sim, mas preenchida com muitas experiências, aprendizagens, encontros, um enorme campo de experimentação para o design, sem limites. Lehanneur estruturou sua  palestra — introduzida pela jornalista Ana Cristina Reis, editora do caderno Ela — exatamente sobre as fases da vida e as experiências centrais que atravessamos ao longo dela. Sua fala se dividiu nas seções ‘Como nascer’, ‘Como respirar’, ‘Como aprender’, ‘Como curar’, ‘Como dormir’ e ‘Como morrer’, entre outras. A cada um desses momentos, associou projetos de design, de sua autoria ou não (um exemplo são as tradicionais casas de  Camarões, nas quais a estrutura externa tem um relevo que permite a  escalada durante a construção)”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Segundo Caderno/ Reportagem: Leonardo Lichote/ 19/08/13