O Morar Bem divulgou em reportagem: “A matemática é inexorável: o tamanho das cidades é inversamente proporcional ao número de casas, mas cresce na mesma medida em que aumentam as construções verticais. Embora verdadeira, a constatação não impede ninguém de erguer um oásis particular nas alturas. Com as novas soluções oferecidas pelo mercado, é possível realizar o sonho de ter uma piscina para chamar de sua — mesmo que ela esteja muitos metros acima do nível do mar ou da rua. Tomada a decisão, a primeira providência é buscar ajuda técnica. Se o prédio não estipular previamente o peso máximo permitido para construções do tipo, é preciso chamar um engenheiro calculista para ver se o apartamento aguenta o sobrepeso. Não suporta? Sem drama! É possível reforçar a laje com estrutura metálica de vigas. — Quando o morador ocupa dois andares é mais fácil, já que a obra toda é feita por baixo. Ela demora uns três meses para ser concluída, dependendo do tamanho da piscina — adianta Fernanda Fonseca, coordenadora do núcleo de projetos do escritório Paola Ribeiro”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Morar Bem/Reportagem: Natasha Mazzacaro/01/02/15