O site da Casa Claudia trouxe em reportagem: “Nos livros do pai, entusiasta do modernismo, o jovem Rodrigo Simão, de Petrópolis, RJ, conheceu a obra de Sergio Bernardes (1919-2002). Anos mais tarde, no início da carreira de arquiteto, teve o privilégio de trabalhar no escritório dessa figura já tão familiar. “Ficava fascinado com a clareza e a funcionalidade de seus sistemas construtivos, muito simples e inteligentes. O contato com ele foi uma experiência transformadora. Adorava quando Sergio repetia que é preciso inventar a vida como um incentivo para ousar. Assim é a arquitetura em que acredito”, explica Rodrigo, que pôde colocar a filosofia em prática no projeto da própria casa”. Leia mais no site.

Fonte: Casa Claudia/Reportagem: Simone Raitzik/26/10/14

Casa na serra ostenta telhado curvo, amparado por treliças metálicas