O caderno Rio publicou em reportagem: “Uma grande área marítima integrada à Zona Portuária, que passa por uma revitalização, e sirva de ponto de convivência para os novos moradores que o bairro deverá atrair nos próximos anos. A proposta é a alma do projeto do píer em E apresentado como alternativa ao píer em Y da Companhia Docas, muito criticado pelos impactos à paisagem. O  projeto do píer em E prevê a construção de três atracadouros perpendiculares para seis navios e um terminal de passageiros elevado, que liberaria espaço do entorno para a criação de um longo e contínuo boulevard, da Praça Quinze à Avenida Francisco Bicalho. Outro atrativo charmoso seria a criação de uma marina com capacidade para até 250 barcos de  cerca de 30 pés. Todas as  novidades do projeto, levado há cerca de 20 dias ao  Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Brasília, foram detalhadas ontem, em debate no Instituto de Arquitetos do Brasil (IABRJ). A apresentação do píer em E, acompanhada por imagens, foi feita pelo arquiteto João Pedro Backheuser, do escritório  brasileiro Blac, que trabalhou em parceria com o espanhol Alonso-Riera-Balaguer. Backheuser garantiu que a obra não demandaria um prazo maior e ainda representaria uma solução mais coerente com as intervenções urbanísticas em curso na região do Porto”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Rio/ Reportagem: Carla Rocha