A coluna Em casa por Marcia Müller, do blog da Lu Lacerda, publicou em nota: “Quando falta um projeto de arquitetura, mas não falta harmonia e elegância, geralmente eu gosto. Às vezes, menos arquitetura do arquiteto e mais o que as pessoas comuns acham da arquitetura e da moradia, me interessam muito. Nessas casas criadas a partir de impulsos culturais individuais, contemplar essa beleza espontânea é, para mim, um privilégio. Sendo arquiteta, ver a arquitetura ser esculpida através desses impulsos pessoais, através dos tempos, é fundamental para o meu trabalho. Através da arquitetura sempre pergunto: o que eles estão pensando? Saber o que estão pensando é mais importante do que as tendências que a arquitetura contemporânea expõe. Saber quais são as motivações e desejos desses moradores é superimportante para os novos caminhos da arquitetura do futuro. A arquitetura começou de forma superdemocrática e orgânica, através do conceito pessoal de um grupo sobre a moradia. Fugir muito dessa ideia inicial, isola a arquitetura da sua raiz e da sua função. A arquitetura rural é um exemplo dessa incrível arquitetura espontânea. Mostro lindos exemplos dessas construções lúdicas, elegantes… e reais!”. Leia mais no blog.

Fonte: Lu Lacerda/13/01/16

http://lulacerda.ig.com.br/em-casa-por-marcia-muller-sem-arquitetura/