Profissional que é referência no mercado de arquitetura e decoração carioca, Ana Lúcia Jucá atua na área há mais de 20 anos e participa das mostras mais importantes do Rio. Em entrevista ao Radar Decoração ela conta que o estilo de sua própria casa é muito inspirado nos ambientes que faz para esses eventos. “É curioso que a minha casa tem muito das mostras que faço. Acho que quando projeto uma mostra me considero o cliente e gosto tanto que quero um pouquinho destes ambientes pra mim”, explica ela.

RD: Por que você escolheu essa profissão?

A.L.J: Porque  na escola em que estudei, quando passávamos para o científico tínhamos que optar entre as áreas tecnológica, humanas ou biomédica, assim a tecnológica foi muito clara para mim. Depois tínhamos aulas de geometria descritiva e desenho técnico. Foi aí que descobri que gostava de fazer plantas e ver os objetos nos planos geométricos.

RD: Como você define seu estilo e como foi o caminho que você percorreu para desenvolvê-lo?

A.L.J: Defino meu estilo como contemporâneo “atemporal”, uma pitada de clássico para torná-lo atemporal e sofisticado é fundamental. Às vezes gosto de misturar peças antigas num contexto contemporâneo propositadamente para destacá-las.

RD: O que você considera essencial em qualquer bom projeto de interiores?

A.L.J: Que tenha vida, que desperte a vontade de usar este ambiente, que seja convidativo e surpreendente.

RD: De onde vem a sua inspiração?

A.L.J: Do dia a dia. Nós arquitetos somos observadores por natureza e sabemos interpretar a aplicaçāo de coisas que vemos em livros, revistas e viagens nos nossos projetos. Por isso acho importante estarmos atentos às tendências mundiais da nossa área. Acabei de chegar de Milāo para Conferir o que está acontecendo.

RD: Qual a importância de materiais sustentáveis no seu trabalho?

A.L.J: Ainda não é tão significativa quanto gostaria que fosse. Na iluminação, sempre que possível, especifico leds, por ser sustentável, apesar de achar que a resolução do led ainda não é igual à da incandescente.

RD: Quais são suas cores favoritas no décor?

A.L.J: Meus trabalhos geralmente possuem uma base clara para receber cores em detalhes decorativos e obras de artes que valorizam muito o projeto.

RD: Forma, função ou emoção?

A.L.J: Tudo com emoção. Arquitetura é sensorial, a forma e a função devem estar juntas da emoção.

RD: Quais você acredita serem as peculiaridades do mercado carioca? Qual o papel ou importância do Rio dentro do mercado brasileiro de arquitetura e decoração? O que falta aqui no mercado carioca?

A.L.J: O mercado carioca está muito aquecido. Estamos vivendo um momento especial de crescimento e entrada no mercado mundial. Atualmente acho que falta no nosso mercado hotel boutique e mais hotel de luxo para atender nossos visitantes. O Rio está na moda e permanecerá por muito mais tempo, depende apenas de nós para sabermos como arrumar nossa casa e como receber nossas visitas.

RD: Qual seria a casa dos seus sonhos?

A.L.J: Contemporânea, prática, convidativa, humana, arejada, iluminada naturalmente, confortável e, se possível, com uma maravilhosa vista e, claro, no Rio de Janeiro!

RD: Qual o estilo da sua casa? O que você gosta de ter nela?

A.L.J: A minha casa sou eu, com influência do meu marido, que muito opina também. Meus filhos opinam bem menos, apenas nos respectivos quartos que é o mundo deles. Eles sempre deixam muito por minha conta, sabem que vou privilegiá-los sempre. Fazer a nossa casa é mais difícil, eu acho. Acabamos sempre ficando por último. Mas é importante essa vivência de acompanhar a nossa obra, saber lidar com a ansiedade, com a dúvida na hora de uma escolha mais difícil. Assim entendemos melhor o cliente por também sermos cliente. É curioso que a minha casa tem muito das mostras que faço. Acho que quando projeto uma mostra me considero o cliente e gosto tanto que quero um pouquinho destes ambientes pra mim.

RD: Que projetos entregou recentemente e está fazendo atualmente? Algum que curte em especial?

A.L.J: Acabei de entregar um apartamento lindo em Ipanema! Também estou fazendo dois apartamentos em que o cliente possui muitas obras de artes e me deixou livre para criar o entorno a fim de valorizá-las. Atualmente meu escritório desenvolve muitos projetos residenciais de interiores, sendo 5 casas projetos de arquitetura, um hotel e um escritório.

RD: Algum projeto que sonha em fazer e nunca fez?

A.L.J: Ainda quero fazer um hotel boutique. Já fiz um Sheraton focado para executivos. Gostaria de fazer um boutique para visitantes.

RD: Quem são seus designers de mobiliário favoritos?

A.L.J: Não tenho designers favoritos, apesar de admirá-los bastante. Procuro usar o mobiliário que acho que melhor atenderá ao projeto. Atualmente estou colocando um sofá da Zaha Hadid e outro da Patrícia Urquiola que farão toda a diferença em dois apartamentos muito especiais que estou fazendo. Aguardem!

RD: Qual o maior aprendizado nos anos de profissão?

A.L.J: O desenvolvimento da sensibilidade, saber entender os desejos dos clientes. Adoro ouvir que estão felizes e curtindo muito a nova casa. Isto vale mais que o lado financeiro.

Foto: MCA Estúdio