Com quarenta anos de profissão, José Severiano adquiriu muito respeito pelo cliente e desenvolveu seu senso de observação. Em entrevista ao Radar Decoração, o arquiteto conta que em um projeto, é imprescindível causar impacto.

 

RD: Por que você escolheu essa profissão?
J.S: Por ser criativo e observador. Com o tempo, desenvolvemos cada vez mais a criatividade e o senso de observação.
RD: Como você define seu estilo e como foi o caminho que percorreu para desenvolvê-lo?
J.S: O estilo é aquele que o cliente quer e o caminho para desenvolvê-lo é um conjunto de anos de aprendizado, experiências, viagens, leituras, etc.
RD: O que você considera essencial em qualquer bom projeto de interiores?
J.S: O programa do cliente ser alcançado com harmonia e beleza e a satisfação dele em relação ao produto final.
RD: Qual a importância de materiais sustentáveis no seu trabalho?
J.S: É de uma importância fundamental e é uma função do local e da natureza do entorno, da obra/serviço.
RD: Quais são suas cores favoritas no décor?
J.S: As escolhidas pelo cliente, com minha orientação, e harmonizadas de maneira que surpreendam. Tudo é função de programas personalizados.
RD: Forma, função ou emoção?
J.S: As três, mas de maneira que criem um impacto. O projeto tem que causar impacto sempre.
RD: Quais você acredita serem as peculiaridades do mercado carioca? Qual o papel ou importância do Rio dentro do mercado brasileiro de arquitetura e decoração? O que falta nesse mercado?
J.S: O Rio é único e ainda é o lugar sonhado por todos os brasileiros, mas esteve muito mal durante muito tempo. Hoje já está sendo olhado e respeitado novamente. Acredito que, daqui para a frente, vai ser cada vez melhor.
RD: Qual seria a casa dos seus sonhos?
J.S: A do próximo projeto, por ser sempre uma questão de ansiedade.

RD: Qual o estilo da sua casa? O que você gosta de ter nela?
J.S: Não existe estilo. É tudo muito personalizado. Tudo aquilo que gosto, mas de forma harmônica e ousada. Os estilos vão e voltam de moda, enquanto que o que é agradável e equilibrado não cansa.

RD: Que projetos entregou recentemente e está fazendo atualmente? Algum que curte em especial?
J.S: Na grande maioria das vezes, residências unifamiliares. É muito gratificante, pois o retorno no término da casa é muito bom, em especial quando são casas na serra com muita natureza, muito verde.

RD: Quem são seus designers de mobiliário favoritos?
J.S: Os antigos foram os que mais revolucionaram e me marcaram, como a Bauhaus. O que não falta é gente muito boa.

RD: Quantos anos de carreira e qual o maior aprendizado nesse tempo?
J.S: Quarenta anos. As mudanças de opinião e conceitos geralmente ocorrem com o decorrer do tempo. Fatalmente com o aparecimento diário de novidades tecnológicas, teremos que estar aprendendo sempre. Tudo está constantemente em mutação. O aprendizado é diário, já que cada cliente é único.

 

Foto de Divulgação/ BriefCom