A coluna Design Rio publicou em matéria: “Assim como os loucos e os criminosos, no século XIX, os pobres que perambulavam pelas ruas, praças e entradas de igrejas do Rio de Janeiro deveriam ser enclausurados e afastados da cidade “civilizada”. Como não havia prisões suficientes para acolher tanta gente, e o abrigo existente na época só tinha lugar para 70 pessoas, o Império cuidou de criar um asilo de mendigos inspirado nos presídios europeus. Em 10 de julho de 1879, Dom Pedro II inaugurava na Cidade Nova o Asylo da Mendicidade, único exemplar de arquitetura pan-óptica (que permite uma visão de todos os ângulos) da América Latina. A construção monumental, de estilo neoclássico e tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), hoje parece mais um conjunto de cacos que ainda resiste em pé na Avenida Presidente Vargas. Lá, funciona o Hospital Escola São Francisco de Assis, que pertence à UFRJ. Mas, para quem vê hoje com olhos de pena a bela fachada caindo aos pedaços, é um alento entrar no espaço e descobrir que o local passa pelo seu primeiro grande processo de restauração”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Rio/Design Rio/Reportagem: Simone Candida, Ludmilla de Lima e Rodrigo Bertolucci/01/06/14