O site da Arquitetura&Construção publicou: “Ele parece não se dar conta. Mas a determinação do arquiteto paulista Mauro Munhoz no processo de revitalização urbana de Paraty, RJ, que tem na Flip seu desdobramento mais notório, é coisa rara. Num país onde costurar a participação da iniciativa privada e do estado – escutando o que a população local tem a dizer – mais parece tarefa para gigantes, ele narra sua trajetória repleta de percalços e sucessos com uma naturalidade surpreendente. Perguntado sobre os motivos que o levaram a trilhar o longo caminho que busca a recuperação dos espaços públicos de borda-d’água (áreas livres diante dos rios e do mar) da cidade fluminense, que já na década de 90 colecionava mazelas sociais, ele inicia um raciocínio aparentemente distante do tema, mas que faz sentido mais adiante. ‘Fui formado na FAU-USP para entender que até mesmo a arquitetura residencial tem uma dimensão pública. E essa dimensão pública estava bastante mal colocada em Paraty, uma cidade que mantinha o centro histórico agradável, mas acumulava problemas nas ilhas e periferias’, diz o profissional, que assina obras comerciais, institucionais e sobretudo residenciais sempre inseridas de modo delicado e respeitoso no entorno”. Leia mais no site.

Fonte: Casa.com.br/ Reportagem: Joana Baracuhy/ 17/06/13

http://casa.abril.com.br/materia/o-projeto-social-e-urbanos-por-tras-da-flip