O caderno Ela trouxe em reportagem: “No começo, era brincadeira de fim de semana. O publicitário Alex de Oliveira saía de Campinas em direção a São Paulo, encontrava o arquiteto Eduardo Aiello para passarem os dois dias imersos na produção de acessórios e peças de decoração. Na segunda-feira, cada um voltava para o seu trabalho. Um tempinho depois, o bico de fim de semana começou a render uma grana e eles perceberam que poderiam (e deveriam) fazer dessa brincadeira um trabalho para os dias úteis. Depois de um giro pela Europa para gastar e se divertir às custas das vendas dos objetos, decidiram se dedicar 100% ao novo ofício. Abriram, enfim, a Montage, marca que faz design moderno misturando peças antigas saindo da mesmice. — Voltamos com uma mala cheia de
quinquilharias lindas encontradas pelas feiras, brechós e antiquários por onde passamos, tínhamos muito material para produzir nossas peças — relembra Alex, que, hoje, muitos garimpos mais  tarde, considera sua casa um verdadeiro mercado turco. — Tem de tudo amontoado. Isso foi em 2003. A marca cresceu, já vendeu um tanto de peças por aí, fez parcerias com grifes como Rosa Chá e
Adriana Degreas e entrou para o acervo de muitas multimarcas (aqui no Rio já esteve no Gabinete Duilio Sartore e na Dona Coisa). Hoje seu ponto de venda principal é na paulista Lool, mas há  peças também na Coisa da Doris, e as luminárias podem ser encontradas na Wall Lamps”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Ela/ Reportagem: Livia Breves/ 15/06/13