A coluna Em casa, por Marcia Müller, informou em nota: “Gosto muito e procuro sempre usar materiais brutos e não industrializados nos meus projetos. Nos revestimentos e nas torrações, os materiais não industrializados contribuem para um acabamento diferenciado e são um incentivo para um olhar sustentável. Linho natural,  pedras, madeiras , etc… Quando faço uma casa, procuro entender o terreno e tudo que ali existia antes da implantação. E quando encontro pedras, procuro usá-las o máximo possível. Às vezes, é necessário alguma remoção de pequenos pedaços, para o nivelamento do terreno, etc… A utilização das pedras requer um profissional específico para isso; o profissional pode fazer maravilhas com restos de pedras ou simplesmente transformá-las em tijolos. Eu procuro cortar o mínimo possível e usar sempre os maiores pedaços para bancadas em banheiros. Nas pedreiras, antes de ser cortado e polido, enfim, antes de ser industrializado, o granite é um pedaço de pedra bruta. É assim que eu prefiro usar quando o projeto permite. Mostro projetos meus aonde pude colocar as pedras existentes no terreno da casa. Foram feitas bancadas, revestimentos de chuveiro e, em outro projeto, uma divisória. Elas estavam no terreno e continuaram todas lá, de novo e de outra forma. Aproveitar e reciclar é sempre um bom caminho!”. Leia mais no blog.

Fonte: Lu Lacerda/25/02/14

http://lulacerda.ig.com.br/em-casa-por-marcia-muller-pedra-bruta/