O caderno Barra informou em reportagem: “A população da Barra da Tijuca vive na expectativa deter permissão para realizar algo que já é feito em toda a região: o fechamento de varandas. Desde o início da urbanização do bairro, muitos moradores escolheram fazê-lo para se proteger do vento, do sol, do barulho, da maresia ou da poeira da rua. Em 2005, o vereador Carlo Caiado (DEM) apresentou uma proposta que permitiria o fechamento destes espaços dentro de certos parâmetros. Agora, nove anos depois, o projeto de lei complementar 10-A/2005 — que exclui os bairros da Zona Sul, a pedido dos próprios moradores — foi aprovado e aguarda sanção do prefeito Eduardo Paes, o que estava previsto para acontecer ontem. Uma vez aprovada a lei, o prazo para regulamentá-la é de 120 dias. Um dos casos mais emblemáticos da falta de padronização é o condomínio Atlântico Sul. Erguido em 1979, ele nasceu de um projeto ambicioso do arquiteto Slomo Wenkert. Premiado internacionalmente, o desenho previa varandas amplas e abertas. Todas teriam uma pequena piscina circular. Em pouco tempo, o projeto foi desvirtuado. Hoje, cada apartamento tem o tipo de varanda que quer”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/Barra/Reportagem: Fábio Teixeira/17/07/14