A coluna Design Rio trouxe em reportagem: “As paredes do estúdio Radiográfico não deixam dúvidas: seus criadores não dão a mínima para aquele papo que questiona se design pode ser arte  também. Grafismos, experimentações e um grande painel de linhas feitas com fita crepe dão sinais de que ali trabalham designers que vivem em paz sem fronteiras, não só com as artes plásticas, mas com toda forma de cultura. Do escritório criado por Olivia Ferreira e Pedro Garavaglia em 2004 saem projetos para teatro,  cinema, televisão, moda e o mercado editorial, com a assumida busca  por um resultado autoral, uma assinatura, digamos, radiográfica. O nome do estúdio foi sugestão da estilista  Luiza Marcier, para quem já fizeram alguns trabalhos. E, no espírito conceitual que  marca muitos dos processos criativos da dupla, eles logo gostaram da ideia de ‘ver através’ trazida pelo nome. Colegas de faculdade na PUC-Rio, mas amigos desde antes da graduação, Pedro e Olivia  começaram a parceria concebendo o livro ‘Rio Ateliê’, em que apresentam as impressões das visitas a 83 ateliês de artistas cariocas. Com a verba de um edital de incentivo à cultura, dedicaram um ano ao projeto e, em 2004, lançaram a publicação. — Vendo o processo dos artistas, fomos reformulando nosso olhar. Na época,  eu estava descobrindo que o design gráfico era mais que layout — diz Olivia. Entre as referências da dupla, estão o  designer austríaco Stefan Sagmeister e os escritórios Hort (alemão) e MM Paris (francês), todos com uma proposta de trabalho autoral. Para Pedro, eles fazem projetos comerciais com uma linguagem muito particular. É nessa busca que, em cada projeto, a dupla estabelece um conceito como ponto de partida para vários  experimentos”. Leia mais no jornal O Globo.

Fonte: O Globo/ Rio/ Design Rio/ 22/09/13