O blog da Lu Lacerda publucou no Em Casa por Márcia Müller: “Desde o tempo das cavernas, tentamos imprimir nas paredes a nossa personalidade, nossos gostos e nossa vida, pintando cenas do cotidiano de cada grupo que ali habitava. Por isso, papel de parede e tudo que personaliza esse tão antigo muro que nos rodeia têm um incrível valor! Adoro papel de parede que se assemelha a tecido ou palha – porque tecido é muito elegante, palha e couro também, mas os preços acompanham essa elegância…rs. Costumo utilizar materiais fáceis de manutenção, sempre lembrando que vivemos num país tropical e em uma cidade, infelizmente, poluída. Então, um material difícil de limpar e que armazene poeira… não aconselho mesmo!!! Atualmente, as variedades são incríveis. Adoro as coleções de mapas, de Ikat e couros vegetais da Orlean, palhas lindas da Covering e couros maravilhosos da Beraldin… Nas fotos, mostro um banheiro com cimento e papel de parede da Orlean supersofisticado, dois materiais bem diferentes, mas que se harmonizam, high and low (um termo usado na moda) by Manu Müller. Em outra, um quarto superclássico com o moderno Ikat da Entreposto/Orlean, duas épocas diferentes, marcadas na arquitetura e na estampa, mas que também se complementam”. Leia mais no blog.

Fonte: Lu Lacerda/ Em Casa/ 21/05/13

http://lulacerda.ig.com.br/em-casa-por-marcia-muller-papel-de-parede%E2%80%A6-voltando-as-origens/