O blog da Lu Lacerda publicou coluna Em Casa com Márcia Müller: “Até hoje quando terminamos um telhado ainda comemoramos a festa da cumieira. Uma prática antiga trazida pelos portugueses que festejavam a casa quase pronta!!! O telhado é isso: o fechamento da casa, a moldura do projeto!!!! Um volume errado, uma inclinação desproporcional e a casa fica desarmônica. Sabe quando uma pessoa “bonita mas o cabelo estraga tudo”… Ou “um lindo quadro com a moldura medonha”… É por ai … Telhado tem que ser espetacular. Ele pode ser tudo de bom e tudo de ruim em um projeto. Aqui no Brasil aprendemos muito com os nossos colonizadores portugueses e seus telhados coloniais. Lindos e com o famoso cachorro, um beiral embutido, as cidades de Paraty e Tiradentes estão ai para provar a harmonia desses telhados. Um telhado tropical não precisa de tanta inclinação, mas se você optar por fazer sua casa quase sem nenhuma inclinação, como nos telhados modernistas, também lindos, não esqueça de usar uma telha térmica, geralmente um sanduíche de alumínio e isolante térmico. Não se esqueça nunca que nosso sol é intenso e que a temperatura, quando ele incide direto, ‘torra’ a superfície exposta, literalmente, se você estiver perto da praia ou mesmo na serra. Gosto muito de telhados com um prolongamento em pérgula, ou varanda, isso torna a temperatura bem agradável. Mas o mas importante, com certeza, é o volume que ele faz na fachada projetada, suave ou mesmo nenhum, esse acabamento é fundamental. Telha precisa sempre de um ângulo especifico para cada tipo, canal, francesa etc… Eu, particularmente, adoro deixar à mostra a estrutura das vigas que sustentam o telhado no interior da casa, além de serem lindas, formam um balé de estruturas. Telhado é mais do que uma proteção para sua casa, telhado emoldura o volume arquitetônico!” Leia mais no blog.

Fonte: Lu Lacerda/ Em Casa/ 07/05/13

http://lulacerda.ig.com.br/em-casa-por-marcia-muller-festa-da-cumieira/